O Novo som da Igreja Assembléia de Deus Hebrom
Osiel Rangel

Durante duas horas de culto, o nível de pressão sonora era tão alto que incomodava os membros no interior da igreja e também os vizinhos.

É indiscutível. Hoje em dia o maior número de compras em áudio no mercado brasileiro com certeza vem da Instituição Religiosa, seja ela Batista, Nova Vida, Católica, ou Presbiteriana; elas investem consideravelmente em áudio com a finalidade de um culto em que a mensagem transmitida aos fiéis não vá com alguma interferência sonora. Agora nada disso é possível, se a liderança não tiver consciência da importância em torno da sonorização de um ambiente.

Infelizmente, o que ainda é um hábito nas igrejas é quando o som apresenta alguma falha, para economizar, alguém sempre acaba indicando uma pessoa que entende ou que já teve alguma experiência com caixas de som. Em muitos casos, essa pessoa não tem nenhum conhecimento técnico e tampouco é preparada para corrigir as falhas apresentadas, ocasionando uma maior insatisfação por parte dos fiéis.

Fundada em maio de 1998, a igreja Assembléia de Deus Hebrom, liderada pelo pastor José Alves Sobrinho, foi construída em um formato retangular; são 680 m2 de área construída, com a capacidade para 1200 pessoas sentadas, e mais 300 pessoas em pé. Ainda conta com um prédio de cinco pavimentos, totalizando 5500 m2, localizada no bairro Santo Antônio, em Cachoeiro de Itapemirim.


Segundo Amaury Bertoqui, ministro de louvor da igreja, o objetivo da liderança era atender com qualidade a todos os que visitavam a congregação. “Nos já possuíamos um ministério de louvor com músicos profissionais, entretanto, o som anterior precisava de melhorias” e acrescentou “quando conseguíamos satisfazer aos músicos o som já estava muito alto, e os membros reclamavam”. Para o pastor José Alves o equipamento anterior era precário e não atendia os anseios da igreja e nem tampouco dos músicos. “Por esse motivo, propomos investir na qualidade de som”.

A igreja contratou uma empresa especializada

A liderança da igreja fez contato com a empresa LC Diniz, especializada em consultoria de áudio, vídeo e acústica, que no mês de setembro de 2008 realizou um projeto de áudio e vídeo que ficou aos cuidados do projetista Gibran Mafra. Ele contou que inicialmente foi realizada uma visita para identificar problemas e falhas do sistema de som e propor soluções. “Identificamos três problemas: o primeiro foi o nível de pressão sonora (SPL), que incomodava muito os membros, pois ficava em torno de 110 dB, durante 2h e 30 min. Gibran contou que o segundo problema era falta de definição e inteligibilidade do áudio. E por último, as caixas estavam posicionadas de forma irregular e não cobriam de forma eficiente e homogênea todo o ambiente”, explicou.

Feitas todas as observações, a empresa apresentou um projeto de som que atendesse as expectativas de toda a igreja. Gibran explicou que foram feitos vários testes e cálculos para chegar a um resultado final satisfatório. “Fizemos algumas medições preliminares e posteriormente correções com o programa Systune, que é um software para aplicações de som ao vivo em tempo real, que nos permitiu obter medidas como tempo de reverberação, inteligibilidade de voz e nível de pressão sonora no templo da igreja. Quando todo o projeto estava pronto no papel apresentamos uma animação em 3D para a liderança da igreja de como ficaria o projeto quando terminássemos”, acrescentou.

Em seguida, a diretoria da igreja se reuniu, e um dos assuntos em pauta foi a viabilidade do projeto. Com as informações colhidas durante a análise feita no templo, foram utilizados equipamentos e programas de alta tecnologia, com a finalidade de alcançar a melhor solução. Com base nos dados, a empresa passou para a segunda parte, em que uma equipe estrutural marcou os pontos exatos em que todo o sistema (caixas, multicabo, cabeamento, mesa) seria posicionado. Depois de 15 dias uma outra equipe retornou à igreja para concluir o projeto. A LC ofereceu um curso de capacitação para os técnicos da congregação, e palestras na área musical, em que foi abordado o tema Educação Musical.

Novo sistema; satisfação de todos

Com as novas alterações no sistema de áudio, os resultados foram surpreendentes. Segundo Luiz Diniz, diretor da empresa responsável pelo projeto, o sistema ficou funcional e eficiente. “Foram utilizadas caixas de amplificação e processamento digitais que somadas a uma mesa digital completaram os resultados obtidos. Um deles foi manter a pressão sonora no interior da igreja menor a fim de que o som não vazasse para o público externo, minimizando dessa forma problemas com os vizinhos.

A distribuição do som em todo ambiente ficou bem equilibrada, contou o técnico Gibran. Foi utilizado um sistema fly principal com a caixa de sub-grave posicionada próxima ao teto da igreja, direcionada para o público localizado na frente. Para o público que fica abaixo e acima do mezanino, foram posicionadas caixas de deley, que foram ajustadas em 75 milisegundos, criando um alinhamento com o PA principal. “O nível de pressão sonora não agride mais os membros e visitantes, ficando em torno de 95dB a 100dB e o nível de inteligibilidade ficou melhor”, explicou.

Console Mackie TT24 Técnicos Carlos Sufiatti e Gessivaldo Pr. Jose, Amaury, Luiz e Gibran

O ministro de louvor da igreja, Amaury Bertoqui, contou que agora a igreja conseguiu a qualidade de som que desejava. “Nosso grande desafio sempre foi satisfazer os músicos e a igreja, e com a implantação do novo sistema conseguimos atender os dois grupos, a qualidade que o músico buscava e o conforto sonoro que a igreja tanto almejava”, contou.

Atualmente, o ministério é composto por aproximadamente 40 pessoas entre cantores, músicos e assistentes de som. Conta ainda com um coral e uma orquestra e três equipes de operadores de som que se revezam para atender as sete reuniões semanais. “São poucas as igrejas no Brasil que têm essa visão. Hoje o louvor representa 50% da nossa liturgia, pois temos corais, conjuntos, solos, ministério de louvor, e ter um som que atenda a nossa demanda é bem animador,” concluiu o ministro.

O pastor da congregação contou que o comentário que ele tem ouvido é que o som melhorou 100%, e ressaltou que até os vizinhos, que reclamavam do som alto estão satisfeitos. “O fato de não produzirmos mais um áudio que nos incomode e também aos nossos vizinhos significa muito para nossa igreja.

Com equipamentos modernos e bons resultados, a igreja pensa até em gravar um DVD do ministério de louvor. Ela já possui um CD que foi lançado em 2007, chamado Intimidade.

Lista de equipamentos e equipe
Sistema de P.A:
Caixas FZ Audio mod. FZ 102HPA; FZ SUB 18ª e FZ 108 (Deley)
House MIX:
Mesa digital Mackie TT24
Monitores de Palco:
Caixa FZ Audio mod. FZ 108 (monitor fly) .
Todo o sistema de caixas (PA e Monitor) é processado e amplificado digitalmente.
Back Line (Palco):
08 - Fone porta Pro KOSS (fone de ouvido para todos os músicos)
02 - Power Play HA 4700 Berhringer (amplificador de fones)

  06 – Direct Box P600 Berring
01 – Aquário de Bateria Exclusive (isolamento acústico)
Microfones:
Shure SM 57; Samsom KD7 e C02; Mic. Sem fio Sennheiser135 , SAMSOM C02 e Countryman
Equipe de áudio
Técnicos:

- Gessivaldo De Souza, Sérgio Gonçalves, Alcyr De Oliveira,
Assistentes de Palco:
- Natam Pereira, Franco Corsini, Nilson Soares, Moisés Moraes.