Qual é a melhor opção de software para produção?
Vera Medina

Vera Medina é produtora, cantora, compositora e professora de canto e produção de áudio na escola Music Center.
site: www.veramedina.com.br
Nesta edição vamos resumir as características dos principais softwares disponíveis para produção que incorporam o conceito de estação de trabalho de áudio digital (Digital Audio Workstation – DAW)

A resposta para o questionamento acima é muito simples: aquela opção que melhor se adequar aos interesses e objetivos do produtor. A maioria das soluções disponíveis atualmente apresenta uma ótima qualidade, considerando também que a concorrência se tornou mais acirrada. Os preços dos produtos têm que ser considerados, pois variam bastante, mas vamos nos ater a questões técnicas neste artigo. Este artigo visa informar os mais novos no ramo e atualizar quem já tem um conhecimento mais avançado.

Vale a pena definir o que é uma estação de trabalho de áudio digital. Pode ser considerada como um sistema destinado à gravação, edição e play back de áudio digital, permitindo também manipular sons gravados. O termo se refere a uma combinação geral de software multipista de áudio e uma placa de áudio de alta qualidade. A maioria dos computadores pessoais com um software multipista e de edição de áudio.

Cada um dos softwares disponíveis pode apresentar características que venham a atender a necessidades específicas dos produtores. Conheço muitos produtores que utilizam um software porque a indústria o faz ou porque está na moda. Isto funciona por um tempo limitado e acaba em longo prazo por trazer problemas para aquele produtor. Por exemplo, existem softwares mais adequados para a música eletrônica, outros que melhor se adequam à necessidade de produção de música acústica. Isso não quer dizer que não se possa fazer o uso criativo dos softwares, mas se já existe um que torna a execução de uma atividade mais simples, por que complicar?

Muitos leitores perguntam: Que software você utiliza? Para essa resposta, no meu caso eu posso afirmar que utilizo vários, alguns mais do que outros, mas utilizo basicamente o que venha a atender às minhas necessidades mantendo um nível de qualidade adequado. Atualmente, meus softwares do dia a dia são: Logic Pro, Pro Tools, Live e Acid Pro. Além destes, utilizo o Sound Forge, Soundtrack Pro e outros para fechar os CDs dentro de padrões de mercado.

Temos hoje várias opções no mercado e um dos pontos mais importantes para quem produz é se manter atualizado quanto aos lançamentos e novas funcionalidades de cada produto. Vou citar alguns programas (em ordem alfabética) para que vocês possam depois pesquisar mais a respeito daqueles que mais se enquadram no perfil desejado.

• Live (fabricante Ableton – www.ableton.com): Atualmente na versão 7 (lançada em Novembro de 2007) e em breve versão 8. Funciona com Windows ou Mac OS.Pode ser definido como um sequenciador baseado em manipulação de loops, principalmente. Seu objetivo principal é servir como ferramenta para performances ao vivo, mas com sua evolução começou a incorporar instrumentos, plug-ins e várias funcionalidades que possibilitam utilizá-lo como única ferramenta de produção, principalmente no segmento de música eletrônica ou DJ. Eu utilizo o Live para criar loops com o Drum Tracks e para rapidamente utilizar loops em bpms diferentes. Utilizo o Live também para as apresentações ao vivo, acredito ser o melhor programa para esta finalidade e para mixar tracks com um controlador (apesar de existirem softwares específicos para este fim, tal como o Traktor DJ da Native Instruments).

• Sonar (fabricante Cakewalk - www.cakewalk.com/products/sonar/): É um programa que permite gravar, editar, mixar, masterizar e rotear o áudio. Possui somente versão para Windows. As últimas versões são SONAR 8 Studio Edition, SONAR 8 Producer Edition, and SONAR LE (que geralmente acompanha algum hardware), além das versões anteriores 7. Possui boa integração com funções de vídeo. O pacote também apresenta vários instrumentos e plug-ins de efeito. Os principais instrumentos são: Beatscape, Dimension Pro, True Pianos Amber, Rapture LE, Session Drummer 2, Z3TA+, Cyclone, Roland TTS-1, Pentagon 1, PSYN II, RXP, SFZ, Roland Groove Synth (uma variação dos sons das MCs da Roland) e Drop Zone. Eu particularmente gosto muito do Sonar, pois iniciei minha vida de Produção com o antigo Voyetra para DOS e o primeiro software para Windows que utilizei foi o Cakewalk. Possui uma interface extremamente agradável e uma qualidade excelente.

• Cubase (fabricante Steinberg –www.steinberg.net/en/products/musicproduction/cubase4_product.html): É um programa bastante completo e versátil para produção e gravação de todos os tipos de música que está na sua versão 4 (Cubase 4). Possui versões para Windows e Mac OS. O programa oferece as funções necessárias para gravar, mixar, masterizar os projetos musicais, incluindo vídeo e transformá-los em CD/DVDs. Possui funções avançadas para uso de MIDI, o que é um atrativo para quem compõe utilizando controladores e instrumentos virtuais ou externos, mais do que somente arquivos de áudio. Um dos atrativos é a facilidade de configurar os equipamentos utilizados via MIDI. Em Janeiro de 2009 a Steinberg anunciou a versão Cubase 5 e Cubase Studio 5 a serem lançadas em Fevereiro, portanto, quando esta revista sair o programa já estará disponível.

• Pro Tools (fabricante Digidesign – Avid Technology – www.digidesign.com): É um dos programas mais utilizados em estúdios maiores de gravação devido à combinação das interfaces e sistemas de áudio disponíveis. Desde a versão 7 vem sofrendo muitas melhorias, principalmente com a incorporação do áudio e tempo elásticos, este último disponível na versão 8, recém lançada. Para o meu uso, acredito que estas duas funções que facilitam a utilização de loops e sua manipulação foram cruciais no software, tornando-o bastante atrativo. Possui versões para Windows e Mac OS. Existem três tipos de sistemas disponíveis: HD (versão mais cara, pois se trata de um pacote integrado com hardware e software), LE (a mais comum com a utilização das Digis 02, 03, MBox, etc) e M-Powered (em conjunto com os hardwares da M-Audio). Ainda acho meio chata a edição de MIDI no Pro Tools, mas sem dúvida apresenta as funcionalidades necessárias para o processo criativo. Ainda não testei o Pro Tools 8, mas pelo que vi, a interface está se tornando cada vez mais agradável. Espero fazer uma review do software nas próximas edições.

• Logic (fabricante Apple): Atualmente, existem as versões Express e Pro. A primeira é mais simples e a segunda é um pacote completo e integrado de ferramentas, incluindo Soundtrack Pro, Mainstage, Waveburner, vários plug-ins, instrumentos e loops (vide edições anteriores da Backstage para maiores detalhes sobre cada um dos complementos do pacote). O Logic apresenta uma ótima relação custo/benefício, considerando o conjunto de ferramentas que engloba, porém, ainda existem algumas melhorias a serem efetuadas no software, principalmente no que tange a manipulação de áudio elástico e alterações no timestreching. Para tirar o maior proveito do software, tenho utilizado em conjunto com outros, tais como Live. Cabe ressaltar que o Logic só roda no Mac, portanto, ao fazer esta escolha esteja atento. É um software com uma interface customizável e agradável, assim como o Cubase.

Na próxima edição, pretendo complementar a lista de softwares, incluindo Reason, Fruit Loops e Acid Pro, entre outros. Se tiverem qualquer dúvida ou sugestão de inclusão de algum software, por favor, enviem mensagens. Ótimas produções para todos.

e-mail para esta coluna:
vera.medina1@gmail.com