Marcello Dalla
Engenheiro, produtor musical e instrutor
ateliedosom@terra.com.br
www.ateliedosom.com.br

Software
CUBASE 5
Olá amigos,
A partir desta edição estarei com vocês aqui na Backstage para falar sobre o software CUBASE , conhecido integrante da família Yamaha/Steinberg

A ideia é trazer informações práticas (básicas e avançadas), dicas de utilização, explorar possibilidades e funções desse software já tradicional na produção de música e áudio do exterior e que conquista, a cada dia, mais usuários na Terra Brasilis.

À medida que eu for escrevendo sobre tudo isso, também vou me apresentando e falando sobre minha vivência como produtor, músico e engenheiro. Dos idos de 2000 para cá tenho trabalhado também como professor e consultor e aprendi que papo técnico tem que estar entremeado por situações reais interessantes e bons “causos”. Dizem estudiosos que é porque vincula à memória emocional, etc. Mas, filosofia à parte, o fato é que gosto de escrever no mesmo estilo que falo aos alunos e como descendente de italianos, gosto de contar uma história. Então vamos nessa.

Ao longo desse artigo e provavelmente de todos que escreverei, vocês perceberão um certo “xodó” pela engenharia Steinberg permeando os textos. Mas, sem o paradigma do cara chato que diz que “esse programa é melhor que aquele”. Sem essa! Como entusiasta e por dever de ofício, uso e aprecio diversos softwares. Como usuário de longa data (e bota longa data nisso) de CUBASE , NUENDO, WAVELAB (e mais uma penca de coisas da Steinberg), tenho uma história de muitos sons e daí nasce o xodó. Hoje sou palestrante e instrutor credenciado pela Yamaha/Steinberg, mas minha saga começou e continua principalmente como USUÁRIO nas mais diversas situações: cinema, música, mix, máster, criação, produção, desenho de som, e por aí vai.

O CUBASE sempre teve seu foco voltado para a produção musical. A partir dele foi desenvolvido o NUENDO com mais ferramentas destinadas ao trabalho de áudio e música em “media production”, ou seja, para audiovisuais: vídeo, cinema, etc. Esta é a diferença básica entre eles : embora sejam irmãos e um leia a sessão do outro sem o menor problema (no PC ou MAC, tanto faz) , existem funções que são inerentes a cada um. Irei abordar em nossos artigos as características do CUBASE, mas sempre que pertinente falarei da gama de ferramentas e possibilidades que CUBASE e NUENDO acrescentam um ao outro em diversas situações. Desta forma busco também atender aos nossos leitores que produzem ou pretendem produzir trilhas sonoras e áudio para imagem.

Coincidência ou não, vai ser um grande prazer iniciar nossa viagem com a recentemente lançada versão CUBASE 5. Para quem gosta de novidades, é uma panela cheia. Falo isso porque fiquei empolgado com os novos recursos. Ok! Mas muita calma. É claro que funções importantes e que também residem em versões como o CUBASE ESSENTIAL 5 e STUDIO 5 estarão em nosso roteiro. Podemos até partir delas na próxima edição para contemplar um maior número de leitores, mesmo porque nem todo mundo está rodando CUBASE 5 ainda.

Neste primeiro artigo, acho válido fazer um sobrevoo nos novos recursos do CUBASE 5 para termos um gostinho do que vem pela frente e das possibilidades que esses novos recursos trazem .

Um dos destaques são os recursos para trabalhar com canais de voz. Temos na figura 1 as telas de um projeto em que usei estes recursos e fiz alguns “test drives” mais radicais.

VARIAUDIO

É um poderoso processador de arquivos monofônicos para “aquele trato” em linhas de vocal e instrumentos solo: correção de afinação, entonação, ajuste de tempos musicais, etc. A qualidade desse processador impressiona. Foi muito bom observar que quando mudei a nota dentro de um limite razoável (quarta justa, eu achei ótimo no arquivo do exemplo), o timbre se manteve fiel e com qualidade de áudio. Com o VariAudio estamos trabalhando dentro da sessão, ouvindo tudo e ainda utilizando outras ferramentas do CUBASE ao mesmo tempo. Todas as notas detectadas ou segmentos podem ser convertidos em informação MIDI. Isso mesmo, você transforma uma linha de vocal em uma trilha MIDI (vide Figura 1). O vibrato da voz foi convertido em informação de pitch bend mapeado na parte inferior da trilha MIDI. A partir desta trilha pode-se gerar uma partitura da linha de voz para criar um arranjo vocal ou orquestração ou imprimir para edição, etc.

PITCHCORRECT

É um plug-in VST3 desenvolvido com base na tecnologia Pitch Fix da Yamaha. Traz um controle de afinação automático com base na escala desejada (maior, menor, cromática ou escalas customizadas) e ainda pode ser usado em tempo real, ou seja, corrige a afinação do sinal que está sendo gravado e traz vários parâmetros para que essas correções aconteçam de forma natural sem artefatos digitais.

Gostaram?
Para os que conhecem a série original de “Star Trek”, usarei o conceito do Sr. Spok: a sessão de criação e edição de ritmos e loops está fascinante. Ferramentas poderosas implementam o CUBASE 5: a figura 2 traz a foto desses caras na minha sessão.

- LoopMash é um instrumento virtual que usa um processamento de áudio desenvolvido em conjunto com a Yamaha. Você pode usar a biblioteca de samples que acompanha o CUBASE ou dar um novo sentido criativo às bibliotecas de loops e samples que você já possua. Recorte, desmembre loops, construa riffs de sopros ou de voz. Torne isso musical através do LoopMash. No estúdio e ao vivo!

- Groove Agent One une samples de bateria a edições refinadas. Além de trabalhar com os formatos wav e aiff também importa os arquivos no formato MPC. Traz já implementada uma biblioteca que inclui kits acústicos, urbanos, hip-hop e dance. A partir de qualquer uma dessas fontes você tem ao seu dispor: controle dinâmico, textura, timbre e todos os parâmetros de expressão. É possível também desmembrar um loop de áudio em instrumentos discretos, transformar isso em um canal MIDI e editar ou reendereçar peças, por exemplo. Tudo isso acontece dentro do ambiente CUBASE, mantendo o tempo da sessão e usando as ferramentas de edição do software que forem necessárias.

- Beat Designer é a ferramenta para criação de padrões rítmicos no já conhecido formato de programação passo a passo com até 64 passos por padrão. Permite o ajuste de volume de cada elemento dentro do beat criando variações de dinâmica e consequentemente de “grooves“. O bicho funciona integrado com a Groove Agent One. Amigos... digo uma coisa: diversão garantida.
O CUBASE 5 traz mais uma bela lista de ferramentas criativas, de mixagem, plug-ins, gerenciadores de arquivos e novidades muito bem vindas no que diz respeito a DSP. Vou listar alguns itens de forma expressa, pois a partir de hoje tenho uma coluna na Backstage e não a revista inteira. Desvendaremos os mistérios em detalhes nas edições vindouras. Vamos lá:

REVERENCE
Reverb de convolução com tecnologia VST3. Baseado no princípio de resposta de impulso. Já vem com 70 impulsos muito interessantes na biblioteca. Denso, bonito, um ótimo plug-in.

VST EXPRESSION
Para vocês, que assim como eu, já passaram horas de suas vidas trabalhando articulações de orquestrações e instrumentos virtuais com uma infinidade de controles MIDI. Temos uma boa notícia: O VST Expression permite trabalhar tudo isso de uma forma direta nos editores MIDI (Key e Score) . Por exemplo: as articulações notadas no editor de partitura são executadas em tempo real pela orquestra ou qualquer outra biblioteca incluída no HALion ONE.

- 64 bits – CUBASE 5 já vem pronto para usufruir do processamento de alta performance com o Windows Vista 64. Pulamos do gerenciamento de 2GB de memória para 1 terabyte. Mais plug-ins, canais, melhor resolução. Os samples podem ser carregados diretamente na RAM permitindo aos samplers virtuais uma melhor resposta e qualidade sonora. A liberdade é maior não só no estúdio, mas principalmente ao vivo e a qualidade da execução, nem se fala. Todos os plug-ins e instrumentos virtuais desenvolvidos na tecnologia 32bit VST continuam valendo, roda tudo bonito. Quem investiu não perdeu nada. Ele abriu e organizou meus plug-ins antigos e jurássicos da mesma forma que todas as versões anteriores. Isso na Steinberg é show: Compatibilidade !
Sem dúvida, teremos bons assuntos, histórias e “causos” pois o tema é bem vasto. Temos mais itens em nossa lista de “highlights” e isso é instigante. Falaremos não só do software, mas também de sua compatibilidade e desempenho com uma infinidade de interfaces e outros “hardwares”. Vamos em frente. Espero que tenham gostado do nosso primeiro “papo”.
Segue abaixo meu e-mail e no site do meu estúdio vocês podem conferir alguns trabalhos do meu portfolio em música e áudio.
Valeu ! Abraços a todos.

e-mail para esta coluna:
ateliedosom@terra.com.br

 

Figura 1 - Ferramentas para vocal
Figura 2 - Ferramentas para loop