Os maiores erros no “Universo In-ear”…

BeFunkybw_null_1Apesar do espetacular mundo das caixas de monitor (só as originais), que por sinal eu amo de paixão, fico imaginando um Free Jazz ou outros eventos desse porte com consoles digitais e in-ears, se eles já existissem na época… É verdade, o Paraíso existe, e como eu sempre digo (sem generalizar), não existe quem não goste, mas quem usou errado. Fato!!!

Sem querer ser dono da verdade, e muito longe disso, ainda encontramos erros básicos inacreditáveis por aí, por incrível que possa parecer… Vamos lá:

Primeiro: “o artista não fala com o técnico”!!!… É demais… Você não precisa assistir o Jornal Nacional, a novela das nove e comer uma pizza depois na casa dele, mas pelo menos que saiba quem está na console, o seu conhecimento sobre o assunto, seu sistema de trabalho, estrada e, principalmente, conceitos sobre preservação auditiva. Simples assim… Meia hora de conversa e está tudo resolvido no stage. Uma comunicação combinada durante o show é regra para uma mix confortável e livre de problemas, pois “o cara aí do som” não vai resolver nada!!!

Segundo: “a escolha equivocada do equipamento”!!!… Bom, hoje em dia todas as empresas especializadas no assunto disponibilizam todos os modelos de fone para “degustação”, além de profissionais de ponta para audiometrias e outros cuidados, antes que seja feita a opção por este ou aquele equipamento… Fato. Faça seu artista ouvir alguns dos seus programas prediletos em casa e ter absoluta certeza de qual modelo o deixa mais confortável, antes de partir para os finalmente, como moldes, etc… Hoje o mercado nos deixa inúmeras possibilidades e sonoridades a disposição!!!…

Antes de entrar no assunto “mixes”, pelo amor do CARA lá de cima, sempre os dois lados dos fones na orelha!!! Além de um lado só induzir mais 6 dB no botão de volume e detonar sua audição e sua mix, dirigir uma Ferrari com duas rodas e ver um jogo da NBA com um time só na quadra seria muito sem graça…

Meu sistema de trabalho, vencidas as barreiras citadas acima, é trazer os músicos até a console e partindo do gosto pessoal de cada um, dentro de um discernimento de mixes sugeridas, fazer os ajustes de volume para que exista uma margem segura e confortável de trabalho e sintonia fina no equilíbrio, efeitos e timbres, sempre respeitando o espaço e imagem do stage (absolutamente regra!!!). Já trabalhei com uma curva (muito discreta) de acordo com a audiometria de cada um no stage, e foi muito produtiva, além de muito recomendada.

Sobre uma varredura de RF, nem vou entrar no assunto, pois é o básico do básico… Não existe nada pior do que a transmissão e recepção falharem na primeira música, o que no meu caso de “Cancerianice explícita”, destruiria o show inteiro… Hehehehehe.

Bom… É mais ou menos assim que eu gosto de trabalhar… Mais uma vez, quero ressaltar a importância da preservação auditiva e dizer que engenheiro de monitor não morde e joga no mesmo time de todos no stage, ok???… Hahahaha.

Até o próximo e boas mixes!!!

 

 

 

Florencia Saravia-Akamine por Florencia…

Blog FloEu me tornei quem eu queria me tornar: um Engenheiro de Som…

Aceitei o convite do meu amigo e, também, engenheiro de som, Paulo Farat para escrever sobre a minha trajetória. Não acho que tenha nada de muito diferente dos demais técnicos. Mas, espero dar um pouco de fôlego para aqueles que desejam seguir este ofício tão específico da música.

Sempre gostei de tocar algum instrumento, mas foram os sintetizadores que mais me atraíram. Acho que são instrumentos fabulosos, muito cheios de possibilidades e, mais que tocar, eu gostava de vê-los tocar o que eu tinha programado e mudar timbres e envelopes dos sons.

Foram os sintetizadores que me levaram por todos os caminhos que eu quis seguir no áudio. Desde o encontro com a primeira revista Música & Tecnologia que era distribuída nas escolas de música em forma de jornalzinho gratuito (ali li pela primeira vez um artigo do Sólon do Valle e um artigo do Roberto Ramos), passando pela visita a um estúdio no bairro da Glória (onde me apaixonei por uma mesa de som, aos 13 anos), até a alegria que é, para mim, trabalhar com computadores.

(Eu brinco dizendo que, na verdade, eu AMO tudo que tem um coração de cristal batendo e um ego com linha de comando.)

É árduo chegar a ser um técnico de som no Brasil. até pouco tempo atrás tínhamos poucas opções de ensino formal. Antes do advento da internet, era mais difícil ainda conseguir os materiais de estudo. Qualquer manual era um tesouro a ser explorado. Hoje, sinto que há muitas formas de se adquirir conhecimento e acredito que o campo de trabalho também se expandiu enormemente. Sempre estudei e continuo procurando o que estudar. Isso nunca para.

Passar pelos longos anos de flutuação de agenda e cachês baixos, também não é para todos.

Dormi no estúdio, trabalhei de graça, trabalhei por misérias, tomei alguns calotes e muitos puxões de tapete. Enfim, todos nós temos que passar por algumas situações para chegar onde queremos chegar. Um dia, seu trabalho começa a ser valorizado e você consegue viver do que era, antes, só amor.

Mas, também não é um ofício para qualquer aventureiro. Só fica quem é bom de verdade e quem gosta de verdade do que faz. Sempre gostei dessa “peneira natural” da nossa profissão.

Também é de certa forma, um ofício generoso: quanto mais velhos somos, melhores profissionais nos tornamos.

Fico feliz de que, hoje, temos mais mulheres trabalhando bem como técnicas de som. Há pouco tempo atrás, éramos muito poucas. Porém, ainda há muito a se conquistar nesse sentido. Não só no áudio, como em várias outras profissões.

Meu trabalho me trouxe muitas alegrias, não só realizações profissionais: trouxe amigos de verdade, cidades novas, e a minha própria família.

Aprendi com muitos mestres generosos, como o Mayrton Bahia, Fábio Henriques, Sólon do Valle, Carlos Roberto Peddruzzi, Guilherme Reis, Marcio Gama, Marcos Adriano, Flávio Senna, Vitor Farias e Carlos Freitas. Tive a sorte e aproveitei muito a oportunidade de vê-los trabalhar. A maior lição que aprendi com eles foi a de sempre espalhar a informação. Nosso trabalho só é bom se todos os envolvidos são bons profissionais. Ninguém trabalha sozinho…

Florencia Saravia-Akamine

http://proaudioclube.com/florencia-saravia-akamine/

 

 

Errar (feio) é humano, e (foi) muito produtivo!!!…

IMG_5452Bom, era mais uma tarde tranquila no extinto Palace, em mais um festival de sucesso, com um belo equipamento nas mãos e o empenho em “não errar”, frase clássica do Pena Schmidt, que virou nossa paranoia saudável.

Grandes (e detalhistas) músicos no stage, em uma clássica formação de piano acústico (aberto), baixo acústico (só mic), sax & bateria (kick, snare & overs)… Uma passagem de som absolutamente tranquila, apenas pequenos ajustes de filtros e EQ, o monitor falando bonito, na mais perfeita ordem, com o resultado final aprovado por todos, com louvor!!!

Naquele dia eu fiquei surpreso com o pouco tempo de soundcheck e o resultado ao qual chegamos no stage… O clássico “monitor de jazz” perfeito. Os zerados e eficientes monitores Meyer UM1P da Loudness e a incrível Midas XL3, garantiram o sucesso do ensaio.

Todos para o hotel e aí veio o susto… Eu, em um descuido absoluto, talvez muito relaxado, pois era o terceiro dia do evento, deixei todos os gráficos em by-pass na console, ou seja, TREVA!!!… Só que não, pois foi o melhor e mais eficiente monitor de UM1P que eu fiz na vida!!!

Não contei isso pra ninguém, muito menos pro Pena… O plano B, “just in case” era deixar uma curva presetada pro showtime… É claro que não precisou!!! Hehehehehe. Um brinde ao “flat mode on” no monitor.

Como é bom errar assim!!!

Até a próxima!!!

E que venha 2017… Let’s mix Music!!!

pm5d-fx

 

Foi um ano difícil para o show bizz,

E aqui estamos firmes e fortes…

Levamos vitórias, levamos derrotas, levamos esperança…

Imaginamos o melhor pra 2017…

Zeramos os planos e começamos tudo de novo!!!

 

 

Aos que torceram pelas conquistas, many thanks…

Não levarei mágoas nem rancores de ninguém na contramão…

O Universo conspira a favor de boas vibes!!!

 

 

Não vamos desistir fácil…

O que vem por aí pode ser o melhor de tudo até aqui!!!

Vamos juntos nessa corrente e nesse fio invisível que nos une…

O fino da vida, pertence a quem se atreve!!!

 

 

Feliz virada galera…

A  nossa história ainda tem muitas páginas!!!

Refletir e compartilhar são o foco…

Aos que não conseguiram zerar os planos,

Tenham Fé no CARA lá de cima!!!

 

 

Que venha um 2017 cheio de Luz & Paz pra todos!!!

Até o ano que vem galera!!!

A luz no fim do túnel nem sempre será um trem desgovernado!!!

blog

E vai chegando o final do ano… Que período estranho galera. Shows cancelados na véspera em nossas já mirradas agendas, licitações insanas mandando na qualidade, mão de obra sucateada, posturas nem sempre corretas… Olha, não foram poucos os reversos em 2016…

O pior (digo, melhor) é que foi um ano de muito compartilhamento de informações, palestras, feiras, blogs, “workchopps” com a galera, Segundas, Terças, Quartas Técnicas, entre outros. Não combinou com o resultado final do período, salvo raríssimas gigs. O “Universo Meu Umbigo” foi muito menos habitado nesse ano que se encerra.

Nesse momento de crise, muita gente provou que é possível trabalhar (sim, tivemos muitos eventos de sucesso)… Diminuíram seus custos com discernimento, reduziram exigências, tornaram os contratos mais viáveis, fizeram parcerias e o principal, sem perder a qualidade e o respeito pelas suas equipes e público.

É tempo de repensar 2017, pois podemos trabalhar muito no meio dessa confusão generalizada, principalmente no show bizz. Vamos focar em “fazer direito”, esquecer o “quase rolou”, pensar positivamente nos espelhando nos projetos que vingaram e, principalmente, manter a postura e a ética, um pouco esquecidas em determinados telefonemas e e-mails!!!

Vamos aproveitar com tudo os últimos eventos do ano e que venha um 2017 com muitos novos projetos!!! Que o CARA lá de cima ilumine e abençoe os nossos stages atuais e os que ainda virão, pois nem sempre a “luz no fim do túnel” é um trem desgovernado!!!

Abraços!!!

Manoel Tavares por Manoel Tavares…

Manoel Tavares Blog fx3E aí galera, blz??? Iniciando os posts “Convidados” do blog, tenho um imenso prazer de abrir espaço para um cara extremamente competente como profissional e uma grande figura como pessoa, chamado Manoel Tavares… Um ótimo começo dessa série!!!

Abraço.

Manoel Tavares
por Manoel Tavares.

“Antecipadamente, quero aqui agradecer a oportunidade oferecida pelo meu amigo Paulo Farat de poder contar um pouco da minha história.

Início da carreira profissional: Abril/1983.

… E então com 20 anos de idade, fui surpreendido com um convite de trabalho para exercer uma função no qual já havia tido contato antes, já que a Música fazia parte da minha vida desde sempre (minha irmã era Professora de Música e meu irmão tinha uma Banda). Cresci ouvindo desde os grandes clássicos aos maiores e melhores artistas de expressão nacional e internacional. Estudei música primeiramente em casa e depois em um Conservatório de Música, aqui no Rio de Janeiro.

E com a petulância dos mais jovens, a primeira pergunta que fiz, quando da oferta de emprego foi:

– Qual é a função que ganha mais?
Assim, entrei no seleto time de Sonoplastas da Tv Globo, e mesmo sem saber absolutamente nada, me esforcei em aprender de tudo o que havia em relação à nova função, e que seria o maior trabalho da minha vida: Sonoplastia.

Tive a honra e o privilégio de poder trabalhar/aprender com alguns dos grandes Mestres deste segmento: Eugênio Pinto de Carvalho, Emiliano Costa Neto, Edson Rezende (Pai do Rezendinho), Sóllon do Valle, e o meu amigo My Boy, (que nos deixou para o descanso eterno), entre tantos outros… Todos grandes professores, grandes profissionais e grandes amigos.

Também tive o prazer de poder, ao longo desses anos, participar de grandes projetos como: Festival dos Festivais, Rock in Rio, Hollywood Rock, SWU e tantos outros mais de destaque no cenário musical brasileiro. Trabalhar com áudio na Televisão brasileira é, e sempre será, um desafio constante. Seja este você tendo que provar para alguns que a melhor forma/maneira de fazer um trabalho, nem sempre é dá forma daqueles que comandam ou tendo que desafiar a si mesmo todos os dias em tentar reinventar uma maneira de fazer a mesma coisa de modo diferente… Sempre.

Em televisão, e na minha profissão, você só conseguirá destaque profissional dedicando-se ao máximo e mais um pouco, estando sempre um passo a frente daqueles os quais você presta o serviço, adquirindo a confiança e o respeito de todos aqueles que, com seu trabalho conseguem emocionar o outro, seja com uma música ou com a ausência desta…
E o fiz, ao longo dos 33 anos os quais venho dedicando a esta nobre profissão que é a de levar uma mensagem subliminar as pessoas, do outro lado de uma telinha, e depois, ter a certeza de que tudo o que fora feito até agora foi feito com o coração.

Mas o melhor de tudo, durante todo esse tempo trabalhando com áudio, é o de poder colecionar grandes amigos e grandes lembranças dos bons trabalhos e bons momentos que passamos juntos. Das coisas que gostaríamos de fazer e das coisas que ainda vamos fazer. De poder chegar na AES Brasil e ver todos os que você conhece pessoal e virtualmente ali, próximos a um aperto de mão, um sorriso e um abraço.

Estarei sempre de pé e a ordem. `.

Meu muito obrigado à:

Minha esposa e meus filhos e meus Irmãos.`., Guilardo Fortuna, Maurício Rezende, Carlos Ronconi, Flávio Senna, Thiago Borges, Kalunga Carlos Branco, Lázzaro, Daniel Reis, Valtinho, e a todos vocês que fazem a minha vida ficar mais bonita todos os dias!!!”…

Abraços… Até o próximo convidado!!!

Nossa pequena oração de todos os anos…

Face1 Caixa PBSenhor…

Rogamos para que em 2016;

A concepção e a essência se destaquem nos stages;

As pessoas falem menos na primeira pessoa do singular;

Os talentos sejam mais valiosos do que os egos;

A informação supere o “achismo”;

Compartilhar atropele todos os “segredos”;

A humildade seja uma constante na troca de conhecimentos;

As logísticas nos ajudem mais do que andam atrapalhando;

O fazer bem feito seja o foco principal de todos nós;

A paranoia de não errar ainda nos domine na hora do show;

Nossos bravos fiéis escudeiros das empresas de som durmam cada vez mais em camas quentes e confortáveis, deixando cases e similares apenas para o que foram fabricados;

Nossa Senhora do Alinhamento abençoe todos os sistemas que ainda não encontraram o seu caminho;

A “geração USB” acorde do sonho lindo, saia do Mundo Paralelo do Áudio e saiba o que é (e para o que serve) um bom microfone;

O Pro Tools seja apenas uma espetacular e indispensável “ferramenta”;

O fantasma da energia elétrica deficiente pare de nos atormentar, para que nunca mais um dono de gerador saia correndo atrás de mim com um caibro enorme quando eu pedir o meu “com abacaxi e gelo”;

As estradas desse país sejam mais bem cuidadas;

A Música impere;

A amizade no show bizz seja a cada dia que passa mais valorizada;

As coisas que nos fazem amar de paixão o áudio, permaneçam;

Ninguém que leve a sério o que faz fique sem trabalho;

As agendas sejam muito generosas com nossas amadas bandas, para a felicidade geral da “graxa”;

E pra finalizar…

Que todos, e absolutamente todos os parceiros do stage sejam abençoados;

E que definitivamente os shows comecem um pouco mais cedo!!!

Amém!!!

E que assim seja…

 

E lá se foi 2015!!!…

NatalPost2fxComo passou rápido… Lá se foi 2015. Um ano maluco, de crise no mercado, quem tinha grana segurou, shows desmarcados, posturas duvidosas, certo pânico na galera… Mas também foi um ano bom no que diz respeito ao compartilhamento de informações, boas feiras, (quase) todo mundo “se virando nos 30” pra sobreviver com classe, equipamentos novos, etc…

Acredito que se focarmos em enxugar as produções com discernimento e proporcionar boa diversão, sem exageros no stage, passaremos por cima dessa retração do mercado. E o mais importante: o artístico. O artístico sempre atropelou quaisquer obstáculos de mercado ou tendências retrógradas, assim como pensamentos negativos, frente ao monte de equívocos de conduta que a atual situação do país nos revela a cada dia, fato!!!

Vamos focar no comprometimento de continuarmos a fazer direito, e que tudo aconteça rápido… É tão “fato” ter a paranoia saudável de não errar, mandamento absoluto que nos foi impregnado pela competência do Peninha nos tempos de Stage Brainz (e continua hoje nas mãos do Andréas e sua Audio Bizz), quanto assustador constatar que algumas pessoas não tem mais isso no sangue!!! O famoso “é o que temos para hoje”, criou um mundo paralelo ridículo no mercado e, mesmo que em menores proporções do que em anos passados, o reflexo está aí para quem quiser ver (e principalmente ouvir)!!!… Mas nem tudo está perdido, pois fizemos nossa parte em 2015, com méritos. Se passamos pelo confisco, anos atrás, vamos superar mais essa.

Com certeza, é tempo de ética, de trabalho honesto, de informação pessoal, coletiva & compartilhada, de botar as mãos na massa, e cada um encontrar o seu caminho em suas gigs, estúdios e contratos. O “Universo Meu Umbigo, no País da Primeira Pessoa do Singular” não cabe mais nos dias de hoje do show bizz… Nunca coube, nunca foi bem-vindo… Por favor, vamos conversar mais, relatar mais, dividir mais… Se quem não tem o comprometimento pessoal e profissional nesse foco remar nessa corrente o problema não é nosso, ok???!!! Se a $$$ acabou nivelando o mercado paralelo muito abaixo do mínimo, façam suas opções em não fazer parte dele…

Simples assim!!! Let’s mix music!!!

Que CARA lá de cima sonorize, ilumine e abençoe nossos caminhos em 2016…

Um ótimo Natal e Virada pra todos!!!

Até o ano que vem!!!…

Compartilhar, “mode on”!!!…

PM5D_edited É verdade… Lá se foi 2015… Um ano pra lá de estranho, mas com o saldo positivo do compartilhamento extremo de informações… Palestras, Terças Técnicas, workshops, mesa de boteco, literatura variada, feiras, blogs, sites oficiais, etc…

No meu tempo de iniciante (e me considero um até hoje), as informações eram a estrada com os amigos, o estúdio Vice-Versa e o “The Recording Studio Handbook” by John M. Woram, devorado página por página entre os puxões de orelha do Marcus Vinícius (o Vinicão) e do Luiz Botelho, com sua paciência infinita, entre outras coisas… No final, quebrando a cara aqui e ali, as coisas aconteciam.

Não consigo imaginar onde teríamos chegado se naquela época de música boa e farta, existisse tanto compartilhamento como hoje. Quando dividimos informação, aprendemos mais do que nunca, com perguntas e idéias novas, que assumidamente nos pegam de surpresa muitas vezes nos bate papos.

Por falar em surpresa, em um dos nossos encontros técnicos desse ano, um cara que eu não conhecia pessoalmente veio agradecer imensamente a palestra de monitor da qual eu fiz parte, dizendo que algumas dicas mudaram totalmente sua forma de trabalhar… Mal sabe ele que quem agradecia imensamente era eu, pela alegria de ter dividido algo útil e sincero, gerando resultados no stage, em um exercício confortante de reciprocidade!!!

Ser o “dono da verdade” no “Universo Meu Umbigo, na República da Primeira Pessoa do Singular” há muito tempo anda fora de moda… O prazer de dividir tem o mesmo tamanho de aplicar procedimentos novos que aprendemos e ver seus resultados, onde quer que seja. Eu, particularmente, ando apertando a tecla “F” pra quem esconde o jogo, achando que é referência máxima no mercado, enquanto na verdade se transforma em um profissional bizarro e desinteressante… E olha que não são poucos.

Faço questão de aprender a cada dia, a cada parceria, a cada trabalho, cada um com suas particularidades e características… Sempre fui assim e sempre serei. Não apago cena de mesa, divido o operacional com os caras das empresas entre a passagem de som e o show, nos blogs, enfim, pra mim esse é o caminho.

Que o compartilhamento seja regra e uma postura mais assumida nesse mundinho insano e divertido do áudio!!!…

Simples assim… Abraços!!!

 

Quatro anos de blog!!!…

Quatro Anos BlogO tempo passa galera… Outubro marca o quarto ano desse blog. Primeiro quero agradecer aos frequentadores desse link, que de uma maneira descontraída tentou levar um papo aberto sobre o mundinho insano e divertido do áudio, pois sem clicks nada sobrevive… Muito obrigado!!! Ao Nelsão e toda a equipe da Backstage, thanks pelo espaço e pela confiança… Vocês são nota 1.000!!!

A responsabilidade de ter um canal como esse é grande… Poder expressar opiniões, instantaneamente compartilhadas online, torna nosso discernimento muito mais apurado, pois ninguém que queira ser o dono da verdade merece crédito hoje em dia… Dividir informações é um aprendizado diário e comprometido com não falar besteira e jogar palavras sem critério no ar. O “Universo Meu Umbigo na República da Primeira Pessoa do Singular” passa longe desse link!!!… Hehehe.

Fazendo um balanço desses quatro anos, acredito que rolaram bons papos e histórias por aqui… A tecnologia muda a cada dia e a maioria das pessoas ligadas ao áudio mudam também. Nos dias abertos ao público da Expomusic desse ano, a presença da “pendrive generation” foi bem menor do que eu imaginava… É muito legal ver o interesse de pessoas da nova geração do áudio correndo atrás dos lançamentos e de como utilizar as ferramentas novas… Isso é um ótimo sinal. E que ferramentas temos nas mãos a cada dia!!!

Tanto no mundo do estúdio quanto no stage, a essência da música ainda é a fonte e a nossa ainda é a sonoridade!!!… Não existe música sem a essência de uma boa criação e não se repassa isso ao grande público sem SOM!!!… Fato. “Procedimento” continua a ser a palavra de ordem no áudio… “Foco” também!!! Vamos fazer o básico, em todas as fases e só depois vamos dar nossa assinatura pessoal, afinal quando nos contratam diretamente (pelas características técnicas de cada um), já sabem qual é o resultado final desejado, certo???

Outra coisa muito legal que vem acontecendo são nossos encontros técnicos, live ou via internet… Que delícia nossos papos em Terças Técnicas, palestras, workshops e brejas nos botecos. Dividir informações é aprender mais um pouco a cada conversa, e disso eu não abro mão. Encontrar os velhos e novos amigos do áudio, descobrir novos rumos pra nossas mixes e como utilizam suas novas e velhas ferramentas não tem preço!!! A informação nunca foi tão aberta quanto é hoje, mas “corta” para os dois lados… É de extrema importância um (volto ao termo) discernimento criterioso em nossas publicações!!!

Espero continuar a dividir esse espaço por um bom tempo, e ter capacidade e merecimento pra isso, ok??? Farei o possível para não decepcionar ninguém. Por favor, continuem com as críticas ou os puxões de orelha nas mensagens e comentários, pois são a sobrevivência dos textos e posts!!!

Sejam todos sempre muito bem-vindos!!!

Thanks a lot!!!

Farat